01/03/13 - As 9 tendências de inovações para a sustentabilidade em 2013.

Leia abaixo as principais tendências de inovação e desafios para a sustentabilidade identificadas pela Revista Sustentabilidade. Alguns, como energia solar, foram previstos em 2011 em publicação especial sobre energia, outros são continuação de debates ainda não concluídos enquanto, alguns, são movimentos que vêm se firmando silenciosamente.

 

1. ENERGIA SOLAR DE GRANDE PORTE - Este ano, começam a sair do papel novas usinas de energia solar fotovoltaica. De um lado, a chamada da Aneel estimulou projetos de P&D da elétricas do setor, do outro o barateamento da tecnologia abrirá espaço para empresas contratarem esta energia no mercado livre para atingir metas de redução de emissões, principalmente em um ano quando deverácrescer a geração de energia pelas térmicas.

Sistemas de Geradores de Energia Solar com potencial instalado de 354 MW(SEGS - do inglês, Solar Energy Systemn) na Califórnia, Estados Unidos.

2. MICROGERAÇÃO DISTRIBUÍDA - A partir da regulamentação da Aneel, residências e empresas podem instalar seus próprios sistemas de geração (solar, eólico, biodigestores etc) para gerar energia, cujo excedente pode ser vendido para as distribuidoras. Empresas estrangeiras já estão posicionadas para abocanhar a maior parte deste mercado. Grande potencial nas áreas rurais começarão a ser desenvolvidos.

Sistema de compensação de energia consolidado na Europa e recém regulamentado no Brasil pela ANEEL.

 

3. NOVAS TECNOLOGIAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS - Aqui incluem-se também logística reversa. Mais de 2 mil municípios terão que correr para acabar com lixões. Para isso acontecer, será necessário inovação nos contratos com empresas de limpeza pública, introdução de tecnologias de reciclagem para reduzir a quantidade de resíduos enviados para os aterros e monitoramento remoto do transporte dos resíduos, entre outras tecnologias.

Proposta LIXO LIMPO AgE para a Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos Municipais

4. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - Apesar do barateamento das contas, as empresas e edifícios continuarão a apostar na maior eficiência. Em parte, o governo fará seu papel se implementar o Plano Nacional de Eficiência Energética. Novos meios de controlar remotamente o uso da energia em edifícios comerciais e residenciais serão facilitados pela instalação de relógios inteligentes, prevendo o Smart Grid Brasileiro.

Aparelho do sistema de energia elétrica pré-paga da Eletropaulo

5. COMPOSTAGEM E HORTAS URBANAS - Há um movimento silencioso nos grandes centros de hortas urbanas. Aliado atividades de compostagem e com a crise no sistema industrial de produção e alimento, esta tendência começa a firmar. Não se espera grandes avanços este ano, pois ainda é bastante experimental e os gestores públicos ainda não se atentaram para esta oportunidade. No entanto, restaurantes, praças de alimentação, lanchonetes, supermercados e condomínios já entendem que há oportunidades na compostagem de seus resíduos que inclui o plantio de alimentos.

Programa Adquira seu minhocário da Organização Nosso Lixo

6. CÓDIGO FLORESTAL - O debate continuará. Ninguém está satisfeito, muito menos os ambientalistas. Qual será o resultado? Não se sabe, vai depender do poder de mobilização dos grupos interessados.

 

7. MOBILIDADE URBANA - Haverá uma grande discussão teórica em torno desta questão, principalmente dominada pelos eixos urbanos RJ-SP. Prefeitos que tomaram posse em todo o país tem recebido esta missão. Vão procurar integrar diferentes modais de transporte (incluindo a bicicleta) aliados a Apps em aparelhos móveis que possa facilitar esta integração.

 

8. MERCADO DE CARBONO - Vai o não vai? As incertezas sobre as políticas na Europa, o ceticismo nos EUA e a insegurança das empresas, estão afetando este mercado que, aliado a mecanismo de desenvolvimento limpo, poderiam incentivar tecnologias menos emissões. Controverso por excelência - pois é visto como ‘permissão para poluir' - este mercado é um indicador de quanto o setor produtivo e financeiro se interessa pelo aquecimento global.

 

9. SISTEMAS DE MONITORAMENTO E PREVENÇÃO DE DESASTRES NATURAIS - Este ano serão reforçados no Brasil e no mundo sistemas mais eficazes para monitorar e avisar sobre desastres naturais e eventos climáticos radicais. São Paulo e Rio de Janeiro já vem trabalhando neste sentido, enquanto o governo federal tem reforçado as atividades de pesquisa nesta área, com apoio aos municípios.

 

Dentre as nove tendências a AgE Tecnologias está envolvida diretamente com as NOVAS TECNOLOGIAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS e a MICRO GERAÇÃO DISTRIBUÍDA em sua proposta de tratar a fração orgânica dos resíduos através da Biodigestão Anaeróbia. Nela os resíduos orgânicos são transformados em biogás, que é queimado para a produção de energia.

Confira a matéria na integra e a enquete em: Revista Sustentabilidade.

Fonte: SPATUZZA A. Veja as 9 tendências de inovação para a sustentabilidade em 2013, 21 fev. 2013. Disponível em: <http://revistasustentabilidade.com.br/veja-as-9-tendencias-de-inovacao-para-a-sustentabilidade-em-2013>. Acesso em: 1 mar. 2013.